domingo, 14 de setembro de 2014

Modernidade e Pós-modernidade

Inspirado em Schopenhauer no seu “O Mundo como Vontade e Representação”, grande obra que influenciou enormemente a filosofia de Nietzsche que por sua vez veio a se tornar o pai (ou seria avô?) da pós-modernidade, faço então uma distinção sintética entre as formas moderna e pós-moderna de pensar a realidade: se você tende a acreditar que os objetos (coisas, fenômenos) são efeitos onde a causa é o sujeito (nossa capacidade de pensar e perceber o mundo) e que o sujeito por sua vez este como um ente soberano provém unicamente de uma realidade ou fonte metafísica como, por exemplo, um mundo espiritual ou mesmo Deus, então você pensa o mundo de forma moderna. Se você tende a acreditar que o sujeito em si já ele mesmo é um objeto sob a influência de outros objetos mundanos, ou seja, o sujeito como um agregado e efeito dos próprios objetos do mundo (sem necessariamente ter de desprezar aqui a possibilidade de haver também a influência de alguma suposta realidade metafísica), então você pensa o mundo de forma pós-moderna.

O que o mundo representa mais pra ti? Um efeito ou uma causa da tua percepção?

Você acha que é soberano para pensar o mundo? Ou é o mundo mesmo que permanentemente se põe a esculpir os teus pensamentos?
                                                                                    
                                                                              Philip G. Mayer





Nenhum comentário:

Postar um comentário